Total de visualizações de página

segunda-feira

Texto do Jabor

A PEDOFILIA NA IGREJA É CONSEQUÊNCIA DO CELIBATOOs votos de castidade enlouquecem os sacerdotes católicos. ARNALDO JABOR
No velho colégio de padres onde estudei, a entrada dos alunos já era um desfile de velada pedofilia. O padre reitor - ahh...tempos antigos de batinas negras, rosários nas mãos, panos roxos nos ombros, tristeza infinita nas clausuras - postava-se imóvel, na porta do colégio, numa pose paternal e severa, com os braços erguidos e as mãos oferecidas para os alunos que chegavam. Passavam por ele duas filas de dezenas de meninos, beijando servilmente suas mãos abençoadas. Havia algo de veadagem naquilo, aquela negra batina imóvel, divina, como um manequim, as mãos beijadas com chilreios e devoção por mais de quinhentos meninos de calças curtas. Eu ainda me lembro do vago cheiro de sabonete e cuspe no dorso cabeludo damão do padre. Centenas de meninos de pernas nuas eram pastoreados por tristes noviços e "irmãos leigos". Só se pensava em sexo naquele colégio. Eu via as mães dos alunos, lindas, com seus penteados e decotes imitando a JaneRussel ou Ava Gardner, fazendo charme para os padres na força de seus verdes anos, enlouquecidos pela castidade obrigatória. E eu me perguntava: "Meu Deus...por que padre não pode casar?" Lembro-me do tremor dos jovens padres, excitados pelas madames pintadíssimas, indo se trancar em negras clausuras, entregues ao "vício solitário", indo depois bater no peito e chorar sua culpa diante das imagens silenciosas.E esses mesmos padres nos diziam: "Cada vez que você se masturba, morrem milhões de pessoas que iam nascer. É um genocídio!". E nós, além do pecado, sofríamos a vergonha de ser pequenos "hitlers" de banheiro. Eu pensava: "Por que tanta onda sobre nossos pobres pintinhos, por que essa energia que sinto em minha carne é feia, criminosa?" Vivíamos ajoelhados em confessionários, ouvindo envergonhados a voz e o hálito do triste sacerdote nos sentenciando a dezenas de "ave-marias" e "padre-nossos".Tudo era sexo no colégio; essa palavra terrível estava em toda parte, como uma ameaça vermelha; o diabo nos espreitava até detrás das estátuas de Santa Tereza em êxtase, nas coxas dos anjinhos nus, nos seios fervorosos das beatas acendendo velas.A pedofilia na igreja é consequência direta do celibato. É óbvio que se a força máxima da vida é esmagada, a igreja vira uma máquina de perversões.Claro. E de homosexualismo, visível em qualquer internato religioso. Outro dia, o Contardo Calligaris escreveu com precisão que a pedofilia não está só na carne do jovem assediado; a pedofilia é mais geral, abstrata, no prazer do domínio sobre os mais fracos, na pedagogia infantilizante das jovens "ovelhas" - como nos chamam os pastores de Deus - imoladas em suainocência.Eu vi o diabo naquele colégio: rostos angustiados, berros severos e excessivos nas aulas, castigos sádicos, perseguições a uns e carinhos protetores a outros.Eu mesmo fui assediado por um padre famoso (que muitos colegas meus da época se lembram) que era notório comedor de menininhos; ele fazia mágicas e teatrinhos, para ser popular entre os meninos e, um dia, tentou me beijar num canto da clausura. Criado na malandragem das ruas, fugi em pânico. E falei disso em confissão com outro padre, que mudou de assunto, como se fosse uma impressão minha, como se a pedofilia fosse uma prática necessária à manutenção do celibato, exatamente como os cardeais americanos estão fazendo hoje. O problema da igreja com o sexo leva-a a uma compreensão quebrada da vida, leva-a a aceitar a Aids, a condenar o aborto, o controle social da natalidade e a outros erros maiores - superestruturas desta falência originária, desse vazio fundamental.Lembro-me da descrição da eternidade no inferno, onde queimaríamos para sempre, sob o garfo dos diabos, condenados por uma reles punhetinha: "Imaginem que o planeta seja um grande diamante, o metal mais duro do universo. De cem em cem anos, um passarinho vem voando e dá uma bicadinha na Terra. O dia em que toda a Terra for esfarinhada pelas bicadinhas, esse é a duração da eternidade" . E eu sofria, me esvaindo nos banheiros, pensando naquele passarinho que bicava o mundo, enquanto eu acariciava o outro medroso passarinho se preparando para uma vida de traumas e medos.O prazer era um crime. A partir daí, tudo ficava poluído, manchado de culpa; a alegria virava falta de seriedade, a liberdade era um erro, as meninas eram seres inatingíveis com seus peitinhos e bundinhas. Até hoje, vivo dividido entre as santas e as "impuras"; quantas dores senti na vida pelo cultivo destes ensinamentos, que transformava as mulheres em perigos horrendos, "Liliths" demoníacas, tão ameaçadoras quanto o imenso desejo que tinhamos por elas. A mulher, como Eva, era a origem de todos os males.Delas saía a vida e a morte, delas saía o prazer pecaminoso, o mal do mundo.Esta base criminal gera desde a "burka" até o "striptease", numa antítese simétrica.Hoje piorou. O mundo virou uma incessante paisagem de bundas e seios nus, de pornografia na publicidade, que nos espreita no trânsito, nas ruas, na TV. Já imaginaram esses padres vendo a Feiticeira e a Tiazinha, de terço na mão, trancados em escuras celas, sob o voto de castidade? Essa é a minha idéia de inferno.Uma das grandes desvantagens da igreja católica diante de outras religiões é o celibato. Daí, em cascata, surgem problemas que justificam a queda do prestígio da igreja na era do espetáculo e da desconstrução de certezas.Rabinos casam, pastores protestantes casam. Budistas "do it", xintoistas "do it", indis "do it', mesmo muçulmanos "do it". "Let's do it", pobres padres trêmulos de desejo, no meu remoto passado jesuíta e no presente do sexo massificado.

3 comentários:

Ademir Freitas disse...

Essa e muito boa, gostei do texto

Anônimo disse...

Se é pecado a poligamia e se é pecado a utilização de bebidas alcoólicas; porque Deus não revelou isso aos seus servos do passado e não os condenou?

Monogamia & Bebidas Alcoólicas

Estes dois assuntos representam ordens Divinas, ou tradições humanas, em função de culturas regionais em certas épocas, ou dogmas religiosos?

Quanto à abstinência, temos na Bíblia algumas proibições (poucas por sinal e bem definidas, restritas e não generalizadas) para o uso de bebidas alcoólicas (expressas como Vinho e Bebida Forte).

Como dissemos, as proibições estão muito bem caracterizadas, e restritas a pessoas, ocasiões, ou situações específicas bem definidas, e/ou mesmo funções dentro da igreja, e não generalizadas, como hoje as agremiações religiosas colocam, como condição “sine qua nom”, para as pessoas fazerem parte, ou serem excluídas das mesmas.

Analisemos esses casos:

1)- Proibido aos sacerdotes, quando no exercício de sua função; Levítico 10:9

2)- “ aos nazireus, enquanto durasse o período;.................. Números 6:2 a 4

3)- “ à mãe de Sansão.......................................................... Juízes 13:4

4)- “ como costume aos bispos.(“não dados ao vinho”) ... I Tim. 3:3 e Tito 1:7

5)- “ o excesso aos diáconos (“Não dado a muito vinho”)... I Timóteo 3:8

6)- “ a João Batista............................................................... Lucas 1:15

OBS: Hoje temos vinagre de vinho e vinagre de álcool. Naquele tempo chamava-se; vinagre de vinho, e vinagre de bebida forte, o que nos leva a entender que o que a Bíblia chamava de bebida forte, seria o que hoje chama-se de bebidas alcoólicas, além do vinho. Números 6:3

Por outro lado, o uso de vinho e (ou) bebida forte, foi autorizado especificamente nos seguintes casos:

1) – Ao ex-nazireu após o fim do seu nazireado........................... Números 6:20

2) – A Timóteo (receitado por Paulo por causa da saúde de Timóteo) I Tim. 5:23

3) – Aos dizimistas........................................................ Deuteronômio 14:26

4) – Davi deu a cada israelense, um frasco de vinho....... I Crôn.16:3 e II Sam.6:19

Além disso, havia nos rituais religiosos o uso de vinho e/ou bebida forte (Bebidas alcoólicas), como podemos ver;

1) – Vinho nas ofertas das Primícias................................. Levítico 23:13

2) – Bebida Forte, nos holocaustos contínuos....................Números 28:7

3) – Vinho em outras libações.............................................Números 28:14

Na época de Neemias como governador, além da mesa farta (Um boi e seis ovelhas diariamente), de dez em dez dias ele servia “muito vinho de todas as espécies” conforme relato em Neemias 5:18, o que se fosse hoje talvez chamássemos de; Vinho Tinto, Vinho Seco, Vinho Suave, Vinho Licoroso, etc.

OBSERVAÇÃO: Em todas as coisas, inclusive nos alimentos bons, deve haver equilíbrio e moderação, de maneira muito especial. Em relação a bebidas alcoólicas, mais se faz sentir a necessidade desses dois fatores (equilíbrio e moderação), especialmente por três senões:

1) – A pessoa pode se transformar num alcoólatra;

2) – A pessoa alcoolizada pode ser um perigo;

3) – O uso exagerado pode causar dependência e doenças.

Não estamos com essas considerações, querendo estimular o uso de bebidas alcoólicas, mas alertamos que a Bíblia não apresenta um mandamento proibindo, nem mesmo uma proibição ampla e generalizada, como a maior parte das corporações religiosas o fazem.

MONOGAMIA - E - POLIGAMIA

Nesse assunto, vemos no mínimo o silêncio bíblico e, portanto o do próprio Deus, no sentido de ordens, determinações, ou mesmo proibições, em relação à BIGAMIA ou

POLIGAMIA, que se tornaram um “bicho papão” para as diversas denominações religiosas, influenciando o poder público no sentido de criar leis que estabeleçam a

MONOGAMIA, como o único caminho correto. Pelo contrário, temos poucos países no mundo moderno, que reconhecem e oficializam mais de um casamento para o homem.

Contrário a essa tendência hodierna, vemos na Bíblia, a normatização quando um homem tivesse mais de uma esposa;

A) – “Se lhe tomar outra, não diminuirá o mantimento, o vestido e a obrigação marital” (que pode ser entendido como: Sexual).........Êxodo 21:7 a 10;

B) – “Quando o homem tiver duas mulheres, uma a quem ama e outra a quem despreza e o primogênito for da desprezada, ... ao filho da desprezada reconhecerá por primogênito”................................................... Deuteronômio 21:15 a 17

(Veja que aqui regulamente o direito do primogênito, mas não proíbe 2 mulheres).

Analisemos vários exemplos de homens que tiveram mais de uma esposa, todos registrados na Bíblia;

1 – ABRAÃO: Teve Sara e Agar, e também concubinas.......Gên. 16 e 25:6

Se Deus conversava com Abraão, porque nunca o corrigiu nisso?

2 – JACÓ/ISRAEL: Casa com Lea, depois com Raquel, e toma suas servas como concubinas (Gênesis 35:22) e Deus continuou se comunicando com ele, conforme lemos em Gênesis 31:3, 32:1 e 46:3 e 4.

Se Deus se comunicava direto com Jacó, porque nunca o repreendeu pela POLIGAMIA?

3 – Moises casou com outra (Além de Zípora com quem tinha dois filhos, conforme Êxodo 2:21 e 22), com a mulher cusita, conforme Números 12.

Se Deus falava com Moises cara a cara, conforme o capítulo 12 de Números, porque no incidente da rebelião de Arão e Mirian, não repreendeu Moisés, mas só seus irmãos que o estavam criticando?

4 - Salomão: Este foi sem dúvida alguma, o campeão em número de mulheres entre esposas e concubinas, que totalizavam 1.000. Seu erro foi o número de mulheres?

Respondemos: Conforme os relatos em I Reis 11:1 a 13, e II Reis 23:13, vemos que seu pecado pelo qual foi advertido por Deus, foi a “IDOLATRIA” e não a poligamia.

5 – Davi, pai de Salomão, rei de Israel – o “HOMEM SEGUNDO O CORAÇÃO de DEUS”, quando reinou em hebrom, tinha seis (6) esposas, conforme encontramos em II Samuel 3:14, mais Mical, filha de Saul, e quando mudou seu governo para Jerusalém, teve mais mulheres e concubinas, conforme os relatos encontrados, em II Samuel 5:13 e II Samuel 11, mais Bate Seba, a mulher de Urias.

Perguntamos: A advertência que ele recebeu de Deus através do profeta Natã foi pela poligamia?

Respondemos: NÂO. – Foi advertido pelo adultério com Bate-Seba e o assassinato de Urias, marido dela.

** Podemos ser argüido então: Mas a partir da segunda esposa ele já não estava vivendo em ADULTÉRIO ? Então O QUE É ADULTÉRIO? Não é manter relações sexuais com uma mulher com a qual não é casado, ou com outra mulher além da esposa ?

Respondemos: A Bíblia nos responde, com Levítico 20:10, e Jeremias 29:23.

CONCLUSÃO: Adultério para o Homem é manter relações com mulher de outro homem (casada, portanto); Adultério para a mulher, é quando é casada, e se relaciona com outro homem (além de seu marido).

6 – O sacerdote Joiada, deu ao rei Joas duas esposas. II Crônicas 24:3

Perguntamos: Qual foi o pecado de Joás?

Respondemos: Idolatria (Não bigamia) – II Crônicas 24:18

OBS: 1- Os pecados e seus castigos para Israel, foram por causa da idolatria, conforme encontramos em II Crônicas 7:22.

OBS. 2 – Se a bigamia ou poligamia fossem pecado;

A) – Porque Deus incluiu o mandamento “Não terás mais de uma esposas?

B) – Porque Deus não advertiu; Abraão, Jacó, Moisés, Davi, Salomão, Gideão, e outros, que eram bígamos ou polígamos, com os quais Ele se comunicava diretamente ou por profetas?

OBS. 3 – Porque o ponto alto em todo o Velho Testamento, foi o de advertência quanto à IDOLATRIA, e não a Poligamia?

SUPER OBSERVAÇÃO: Porque Paulo coloca restrições quanto ao uso de bebidas a alcoólicas e estabelece a MONOGAMIA, como condições para os líderes religiosos (bispos e diáconos)?

RESPOSTA: Sem sombra de dúvida, era porque os membros praticavam ambos os aspectos acima discutidos. Caso fosse como é hoje, nem seriam aceitos como membros se usassem bebidas alcoólicas, quanto mais teriam cargos na igreja cristã primitiva.

Irmãos queridos, não sou bígamo nem alcoólatra, e não pretendo ser nem um nem o outro, apenas fiz um levantamento criterioso para que hoje, se eu vir um irmão tomando um copo de vinho, ou outra bebida, eu não me escandalize com ele.

Quanto ao assunto BIGAMIA, existem alguns aspectos a ser considerados; Por exemplo no Brasil, nosso país, as leis não permitem realizar o casamento de um homem (ou mulher) já casado (a), portanto seria impraticável. Outro aspecto no qual a maioria dos homens não poderia ser polígama é que poucos teriam condições financeiras para manter uma família paralela.

Posso então ser questionado: Então porque o irmão levantou esses assuntos? Respondo; Apenas para cultura geral na Bíblia, e para não estarmos incorrendo nos percalços dos fariseus do tempo de Cristo, que estavam mais preocupados com as tradições do que com as verdades da palavra de Deus.

Que Deus sempre nos ilumine e guarde, até à volta de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo em glória.

Irmão @@@@

***************************&&&**************************

Pequena nota do Editor:

Para reflexão do irmão @@@@ e todos os demais.

Sabemos que um cigarro apenas não mata uma pessoa e ha pessoas que fumam muitos anos sem sofrer graves danos a saúde. A bíblia não diz que fumar é pecado e o fumo é prazeroso para muitas pessoas, mas diz que Deus destruirá aqueles que destroem seu próprio corpo. I Cor. 3:16-17. Não precisamos dizer o quanto o fumo é prejudicial ao corpo, então fica a pergunta: Fumar é pecado?

Sabemos que Deus fez a terra para que o homem cuidasse dela, não para que a destruísse. A biblia não diz que é pecado cortar árvores, mas, Deus diz que destruirá aqueles que destroem a terra. Apoc. 11:18. Pergunto: É pecado cortar árvores?

A bíblia não diz que é pecado usar bebidas alcoólicas, mas, sabemos o quanto é prejudicial os efeitos do alcool em nosso organismo, precisaria a bíblia estabelecer um mandamento para abstinência de bebidas alcoólicas?

A bíblia não diz que a poligamia é pecado, mas relata todos os problemas vividos por aqueles que se tornaram poligamos. É de fato necessário um mandamento para nortear nossa vida neste sentido?

A poligamia é fruto da vontade de Deus ou da vontade do homem? É do espírito ou da carne?

Podemos arrumar muitos argumentos para defender um lado ou outro, mas, uma coisa é certa, aqueles que amam a Deus e querem por isso agradá-lo, sempre saberão qual o melhor caminho a seguir em suas vidas.

MINISTÉRIO ADVENTISTA BEREANO

Anônimo disse...

O adultério através da Internet
Por Álvaro Paniago Gonçalves
http://www.ejesus.com.br
Senhor, tu me sondaste, e me conheces – Sl 139:1

Quando lemos em Daniel 12:4 – ...que no final dos tempos o saber se multiplicaria – os avanços da medicina vem a nós como a principal lembrança. Se noticia hoje em dia que, praticamente, não se morre mais de AIDS (Síndrome de Imuno- Deficiência Adquirida) e que com o mapeamento genético levantado no grande projeto Genoma, muitas doenças irão sumir da história dos males que assolaram os povos dos séculos XX e início do XXI.
No entanto, quero tratar neste artigo, de um outro avanço que é pouco comentado, por se tratar de um assunto restrito a poucos, devido à difusão elitizada entre os cristãos atuais. Talvez, quando você irmão ou irmã começar a ler estas palavras, possa até se desinteressar pelo assunto, mas posso lhe assegurar que o mesmo atinge, principalmente seus esposos e esposas. Satanás nunca apresenta sua verdadeira face, ele sempre se mostra como anjo de luz. Ele sempre se disfarça atrás de uma filosofia bonita para atrair e enganar multidões; ele sempre apresenta-se como um rapaz bonito para destruir a vida de uma mulher casada ou muitas vezes como uma moça bonita para destruir o lar de um pai de família. Se realmente se apresentasse como verdadeiramente é, muitos saberiam se defender de suas investidas. Na tecnologia, ele não deixaria de lado sua principal artimanha e apresenta-se a todos, crentes e descrentes, com muita naturalidade através da Internet.
Há milhares de chats (salas de bate-papo) disponíveis a quem quiser freqüentar, onde se pode marcar encontros, falar de coisas fúteis, coisas proveitosas, mas também pode-se viver constantemente contrário à vontade de Deus, cometendo adultérios e destruindo casamentos. Segundo o dicionário da língua portuguesa, a palavra Adultério vem do Lat. Adulteriu e significa: violação da fé conjugal; infidelidade conjugal; falsificação; adulteração... e isso é coisa fácil de se cometer quando se “navega” na grande rede. Em qualquer ponto do mundo pode-se encontrar alguém, cometer a infidelidade conjugal, trocar confissões, marcar encontros e realizar orgias virtuais, manter uma esposa em casa e muitas outras, paralelas, pelo mundo a fora e isso, com a maior naturalidade, pois é muito fácil e é, como já disse antes, um assunto reservado e do conhecimento de poucos.
Por trabalhar com informática a mais de 14 anos e por fazer manutenções em microcomputadores de amigos e estranhos, sempre, durante os trabalhos, tenho a possibilidade de “enxergar” por onde o internauta tem andado. Não é difícil perceber que a Internet é utilizada quase sempre para a perversidade. Numa ocasião, mesmo sem saber, tive o desprazer de desfazer o noivado de um amigo, pois durante a manutenção de seu micro, constatei um número grande de visitas à páginas pornográficas femininas (sites com fotos de homens nus). A princípio, pela nossa aproximação e amizade, o indaguei sobre as referidas visitas e ele, terminantemente, negou tudo, mas a princípio ficou muito chateado com o assunto. Mais tarde fiquei sabendo que o mesmo havia emprestado o computador para sua noiva e a manutenção que eu estava fazendo era para que a máquina pudesse ser utilizada no seu trabalho. Tal experiência me marcou, pois sei que nesse instante, tem muitos irmãos e irmãs lendo este artigo e passando por situações semelhantes. Enquanto suas esposas ou esposos dormem, enquanto o sono “não chega”, muitas visitas semelhantes aos da noiva do meu amigo, são feitas com alguns “cliques do mouse”.
Realmente, o inimigo não mostra a sua verdadeira face e como está escrito em Jó 1:7 e 2:2, ele vive rodeando e passeando pela terra. Em
I Pe 5:8 somos advertidos: Sede sóbrios; vigiai porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; De uma simples pesquisa num site de busca (google®, yahoo®, cadê®...), podemos, quando conectados à internet, sermos conduzidos ao paraíso do inimigo. Devemos lembrar que o Senhor tudo vê – Sl 139 – independente de se estar sozinho na frente do computador na madrugada ou com um amigo que já está entregue a essa vida há muito tempo, em cujo coração não há mais remorso ou arrependimento. Saia desta situação, lute contra ela, é fácil dar um “clique” no X da janela e escapar como José escapou da mulher do Faraó.
Deixo um recado à esposa e ao esposo; estejam sempre próximos um do outro, observem-se a si mesmo, preencham-se em tudo, não deixe o “soldado ferido morrer”, como diz o cântico. Ficar sozinho na frente de um computador pela madrugada, significa que algo precisa ser renovado no seu casamento. Pois há muitos feridos, e que no silêncio da noite clamam por ajuda e proteção, lutam mas não vencem, pois lutam sozinhos, não apelam para Jesus e para o seu cônjuge, e nem se quer é notado pelo mesmo – marido/mulher – que está ferido espiritualmente e precisando de urgente ajuda.

O autor é membro da Congregação Jardim Bálsamo (2ª Igreja Batista em Campo Grande-MS), formado em Ciência da Computação e é Diretor de Música da sua Congregação.