Total de visualizações de página

domingo

Ainda Traje de homem... Traje de mulher! - Costumes X Doutrina

Muitas opiniões têm sido emitidas a respeito de um texto que colei aqui no blog sobre vestimentas de homem e de mulher (ver Traje de homem... Traje de mulher, leiam também o texto sobre LEGALISMO NA IGREJA EVANGÉLICA), alguns deram opiniões no blog e outros me enviaram e-mails.

É engraçado como isso divide opiniões. E a minha é mais uma opinião!

Mas queria que vocês refletissem um pouco mais, só que agora de forma mais abrangente.

Alguns falaram que isso criava certa ‘‘identidade do grupo’’, de forma que era correto se vestir de forma ‘diferente do mundo’, e outros que era por pura ‘opção”.

Na verdade, não passam de doutrinas de homens!

Não ignoro que se tenham costumes no que se refere às vestimentas, que sejam distintivos de determinado grupo religioso. E assim sendo eu concordo que exista, DESDE QUE, não se empurre isso goela a baixo da membresia como DOUTRINA BÌBLICA! O que termina invariavelmente acontecendo.

Daí ser importante a gente distinguir o que seja DOUTRINA do que seja DOGMA, e do que seja COSTUMES.

Do ponto de vista bíblico, a igreja não pode abrir as portas do liberalismo, mas não lhe convém por outro lado, impor costumes sem o correspondente embasamento doutrinário.

Deus não delegou a nenhum pastor, o poder exclusivo de determinar o que compete à igreja fazer ou não fazer, e embora essa afirmação possa chocar alguns ministros acostumados ou viciados em imporem seus gostos e caprichos sobre a igreja que pastoreiam, sem nenhum respaldo na Palavra, apenas baseado no ‘ se eu não gosto – Deus não gosta”, creio que Deus tem delegado autoridade no sentido de orientarmos os membros das igrejas a tomarem decisões por si mesmos, cuidando que eles também têm ‘’a mente de Cristo”.

Doutrina é o conteúdo da fé Cristã, ela é uniforme, válida em todos os lugares.

Dogmas, são doutrinas admitidas sem necessidade de provas.

Costumes são concebidos de acordo com o gosto de cada povo, etnia, e é válida apenas naquele ‘território’.

1) Quanto a Origem:A Doutrina é Divina e o Costume é humano
2) Quanto o Alcance: A Doutrina é geral e o Costume é local.
3) Quanto ao tempo: A Doutrina é imutável e o costume é temporário.

Vários costumes, com o passar do tempo acabam se tornando ‘sagrados’ em várias comunidades, tais como:

1) Ler a Bíblia no culto, congregação em Pé ou Sentada.
2) Saudar os irmãos com a Paz do Senhor
3) Tanque Batismal em templos
4) Capas brancas para batizandos
5) Uniformes para corais
6) Nomes bíblicos em conjuntos, bandas, corais, etc.
7) Levantar a mão para aceitar Jesus.
8) Cálice coletivo na santa ceia embora Jesus tenha dito “bebei DELE todos’’, e não ‘’bebei NELE todos”
9) Oferta recolhida em gazofilácio ou em cestinhas.
10) Rito para casamento religioso.
11) Uso de cabelo comprido para mulheres e curto para homens.
12) Uso de paletó e gravata para administrarem o culto
13) Uso de calça comprida em homens e saia ou vestido para mulheres
14) Não usar bigode
15) Não usar brinco, batom ou outras maquiagens

Conheço uma igreja onde é proibido o homem usar bigode, conheço outra que só é ordenado ao ministério se tiver bigode! Haja coração! Ops, Haja bigode!

E por aí vai.

Mas cuidado! Muitas vezes o que chamamos de ORTODOXIA, é o costume que ‘virou’ DOUTRINA!!!!!

Portanto queridos, se na sua igreja você ensina que não deve fazer isso ou aquilo sobre o que a Bíblia silencia ou não condena (não vale forçar a doutrina com versículos isolados e de dúbia interpretação!) tenha pelo menos a humildade para dizer que tem que ser assim ‘POR CAUSA DA TAL IDENTIDADE’, mas nunca diga que isso é PECADO, ou que ‘’O SENHOR NÃO SE AGRADA”.

Não misture seus sentimentos, com a Palavra. Pois enganoso é o coração do homem!

O que me faz entristecer é ver muita gente cumprindo a ‘cartilhinha da denominação’ com muitos ‘ não toques, não proves, não manuseies’, e achando que assim está ‘santificado’! Mas por outro lado são gananciosos, mentirosos, blasfemos, murmuradores, lascivos, idólatras, causadores de inimizades, iracundos, invejosos, heréticos, e toda a sorte de obras da carne, mas porque não ‘jogam bola, não vão a praia, não usam calça comprida (mulheres), não usam calção (homens), não usam brinco nem batom, estão bem!

Oxalá se enchessem do fruto do espírito!

O perigo de se pregar costumes é mascarar a verdadeira doutrina!

Ouvi certa vez um irmão dizer: “fazer tal coisa(disse a coisa) não é pecado em si, mas como a igreja proíbe, então se torna pecado”, logo a igreja que deveria combater o pecado acaba criando pecado!

Já temos muitos ‘pecados de verdade’ com que nos preocupar, não precisamos criar mais pecados ainda.

É hora de pregarmos o evangelho de Jesus, sem essas esquisitices da religião.

Muitas vezes quando a pessoa diz que não quer ‘aceitar Jesus’, na verdade ela não quer é ‘aceitar a esquesitice da tua igreja’! De forma que só Jesus sabe quem de fato rejeitou Jesus!

Bem, esse é o começo da discussão para vocês refletirem. Então me escrevam.
Moisés Almeida
moisesrivele@bol.com.br

2 comentários:

Filemom disse...

Querido irmão Moisés, a paz do Senhor.
Esclarecedor o seu texto, concordo com a exposição feita em todos os aspectos. E vejo que no íntimo queremos servir ao Senhor Nosso Deus em espirito e em verdade; tenho comigo que é uma "lei natural"(diferente de lei divina e legislação humana) a identificação de um grupo através de aspectos internos a este grupo que o tornam coeso ( em nosso caso é o nosso Senhor Jesus Cristo ) e outros externos, estes últimos devendo ser primeiramente o resultado de uma verdadeira conversão e plena comunhão e obediência à palavra da Senhor(fruto do Espirito), diz a biblia sagrada que devemos guardar os seus mandamentos e FAZERMOS O QUE É AGRADAVEL Á SUA VISTA, cf IJo3:22b. Observe grandes e importantes grupos em várias partes do mundo e/ou em sua cidade, por exemplo os militares que utilizam fardas com indumentárias que o identificam criando um senso comum e agradável entre eles, fazendo inclusive que sejam imediatamente identificados pelo público externo como pertencentes àquele grupo. Não podemos negar a importante influência do grupo sobre o individuo e vice-versa, ninguém está fora de algum grupo trabalhista, social, religioso e espiritual com fortes indícios que o identificam. O que vemos hoje é o pseudo-avanço do conhecimento teológico liberal que cada vez mais empurra a igreja para o mundo, alguém pode gritar o contrário? Se não vejamos, nossas músicas são na grande maioria bonitas mas verdadeiramente longe das verdades bíblicas e ninguém, ou poucos a denunciam; nossos costumes em nada se diferenciam do mundo, alíás andamos aparelhados com todo o movimento social mundano, dentro das igrejas como danças, show, teatro(não me refiro a peça teatral
que é um meio de se educar). De fato precisamos nos identificar e não nos envergonharmos disso. Os nossos irmão do passado que assumiram o cristianismo na época em que carregar uma bíblia debaixo do braço era sinônimo de vida transformada é que nos legaram pelo poder do ESpirito Santo a expansão da palavra de Deus em nosso país, mas o que vemos o movimento gospel cresceu bastante, mas confesse, você acha que o verdadeiro evangelho também cresceu bastante?
Desculpe pelo texto longo, que o Senhor Jesus continue te abençoando, um abraço.

Anderson disse...

Paz amado, concordo plenamente com o irmão, vale ressaltar que se uma pessoa ingressou como membro de uma igreja,automaticamente está concordando com o estatuto e regimento interno da mesma(principalmente no que tange aos costumes).Não adiante depois ficar se rebelando e dizer que esse ou tal costume não tem respaldo bíblico.