Total de visualizações de página

sábado

A Graça e a Gracinha

A Graça é o favor imerecido da salvação.

A Gracinha apesar do nome não é de graça.

A Graça é recebida por meio da fé.

A Gracinha vem da manipulação dos atravessadores da fé.

Na Graça tudo já foi pago na cruz.

Na Gracinha você paga todo dia, todo mês.

Na Graça quem pagou o preço foi Jesus.

Na Gracinha quem paga o preço é você.

Na Graça basta você crer.

Na Gracinha basta você pagar.

Na Graça a única regra de fé é a Palavra.

Na Gracinha vale mais as profetadas, doutrinas isoladas e interpretações pessoais.

Na Graça vivemos o bem da paz de Deus.

Na Gracinha sempre há a inquietude de estar devendo algo a Deus.

Na Graça eu sou o que sou diante de Deus e dos homens.

Na Gracinha eu sou uma coisa para Deus e pareço outra para os homens (uso de máscaras).

Na Graça a maior virtude é o amor.

Na Gracinha a maior virtude é esconder que não se tem virtude alguma.

Na Graça o poder de Deus se aperfeiçoa na fraqueza.

Na Gracinha a fraqueza é vista como falta de fé.

Na Graça as bênçãos são proporcionais à bondade de Deus.

Na Gracinha as bênçãos são proporcionais ao meu esforço.

Na Graça sou salvo porque Jesus me salvou.

Na Gracinha sou salvo graças a mim mesmo, ao meu esforço santificatório.

Na Graça a razão para não pecar é o amor a Cristo.

Na Gracinha a razão para não pecar é o medo do julgamento da igreja.

A Graça é simples.

A Gracinha, não tem Graça nenhuma.


_____________________
Moisés Almeida

3 comentários:

Daladier Lima disse...

Muito interessante seu texto. Infelizmente a graça pregada hoje está fora do contexto de Efésios 2:8, resumindo-se a um matraqueado excêntrico e sem conteúdo.

Visitem http://daladier.blogspot.com - Reflexões Sobre Quase Tudo

mana disse...

oi moisés muito bom esse texto infelizmente gracinha tem mais graça que a verdadera qraça de Deus
gracinha faz cóssegas enquanto a verdadeira graça chama á verdade.

mana disse...

Manassés Almeida