Total de visualizações de página

domingo

Igreja Universal do Reino de Edir Macêdo

Não faz muito tempo a Igreja Universal era um escândalo em termos doutrinários e na moral com que utilizava o dinheiro doado pelos seus fiéis e Edir Macedo não era levado muito a sério e no máximo se pensava nele como um aproveitador.

O tempo passou e o menino cresceu.

A Universal hoje é uma das igrejas que mais crescem no país, o império conta com milhares de templos e várias empresas, entre elas um império de comunicação e uma empresa de taxi aéreo, e os evangélicos que viam a igreja com certa desconfiança, terminou se unindo e até adotando certas práticas por eles praticadas.


No que se refere a fé, A igreja Universal fez um mix de elementos e superstições advindas de outras religiões e incorporadas a sua liturgia, prova disso é a nomenclatura das entidades da umbanda e guias do candomblé, invocados, para depois serem 'expulsos', nos cultos da igreja, tais como ' tranca-rua' e 'pomba-gíra'. Como diz Monteiro e Almeida:


" No cenário atual, pode-se entender a neopentecostal Igreja Universal, fundada em 1977, como resultante da interação, tanto simbólica quanto numericamente, dos universos evangélico e umbandista. A Igreja Universal construiu uma religiosidade que condenou - e ao mesmo tempo validou - os conteúdos de outras religiões, contudo, paradoxalmente, incorporou as formas de apresentação e certos mecanismos de funcionamento de um prática encontrada particularmente na umbanda. Ela ficou mais parecida com a religiosidade inimiga ao elaborar um sincretismo às avessas, que associou as entidades da umbanda e orixás do candomblé ao pólo negativo do cristianismo: o diabo. Se originalmente os universos foram formados em contextos diferentes, a interação (produto do trânsito de pessoas e idéias) gerou uma religiosidade que mistura exus com glossolalia, exorcismo com transe; de tal maneira que se estabeleceu uma continuidade pela qual as entidades conseguiram transitar e esses universos puderam, pelo transe, se comunicar. Os pares negação/inversão e assimilação/continuidade são os mecanismos fundamentais pelos quais se processaram essa antropofagia religiosa. Graças a esses binômios, a Universal pôde manter o proselitismo de fiéis e, ao mesmo tempo, ser sincrética com outras crenças, que, juntamente com os infortúnios vividos pela população brasileira, formam o alimento constitutivo do seu simbolismo religioso". (MONTERO, P. e ALMEIDA, R. "O campo religioso brasileiro no limiar do século: problemas e perspectivas" In: Rattner, H. (org.). Brasil no limiar do século XXI. São Paulo, Edusp, 2000.)


Edir Macedo virou celebridade, uma lenda viva. Na inauguração da TV Record News estava lá o presidente da República, Macêdo virou cult.


Agora dezenas de pastores e fiéis da igreja universal entraram na justiça numa operação que parece por ela orquestrada, contra meios de comunicação que publicaram reportagens falando a respeito da instituição. Fala-se em 'perseguição religiosa' contra os evangélicos!


Com o poder político com seu próprio partido(com deputados federais e um senador eo vice-presidente da república), poder econômico (o dinheiro arrecadado com ofertas e dízimos dos fiéis), poder religioso (com a doutrinação dos fiéis conforme seus métodos e crenças) e com o poder da comunicação (com sua rede de rádio, jornais e televisão), Edir Macêdo é o maior fenômeno sociológico-religioso-econômico do nosso tempo.


É para mim, incompreesível, ver um império sendo erguido em nome daquele que disse que ' não tinha onde reclinar a cabeça'.


A igreja é praticamente universal, presente em diversos países. Do reino, pois é um império nunca antes conseguido por um religioso no país. De Deus, bem... Lembro de alguém, não sei ao certo dizendo "meu reino não é deste mundo", não sei, mas acho que foi dito por alguém muito importante! O que se configura aqui mais parece a Igreja Universal do Reino de Macêdo .


Eles tem o direito de se defender ao se sentirem ofendidos com as reportagens da Folha de São Paulo e O Globo, mas têm que ter cuidado para que coexistam a 'liberdade de imprensa' com ' liberdade de culto', garantidas pela constituição. Como donos de veículos de comunicação eles devem saber muito bem disso, ou estaremos caminhando para um caminho muito difícil.


Por outro lado, posso não concordar com a metologia e doutrinas da Igreja Universal, e realmente não concordo, mas eles tem, a garantia constitucional de existir, e não há nenhum impedimento legal contra a construção de seu império político, econômico e de comunicação, e a forma de sua arrecadação nos cultos. Tudo é legal e ninguém tem uma faca no pescoço obrigando dar dinheiro pra igreja, dá quem quer e muita gente dá e é feliz assim, vai entender o mundo.


Apenas um alerta: Se qualquer 'perseguição' contra a Igreja Universal for entendida como uma perseguição 'aos evangélicos', estaremos vestindo uma carapuça que não é nossa, e validando uma igreja que, tem o direito contitucional de existir, mas é uma aberração doutrinária dos ensinos de Jesus.



Moisés Almeida

2 comentários:

silvio disse...

a vaca , o bode e o cavalo comem a mesma coisa certo? capim, porem um caga um monte de esterco , outro umas bolinhas e o outro bolas grandes de merda , qual a diferença?
se você nao sabe nem falar de merda quer discutir religião.
um bolg para quem nao tem medo de pensar e de falar merda

Moises Almeida disse...

Caro Silvio, Graça e Paz,

Todas as manifestações às postagens em meu blog são bem vindas, até as suas, escrevo o que penso, e você nem ninguém é
obrigado a concordar comigo. Realmente não conheço nem de merda nem de religião, conheço apenas o evangelho de Cristo, que é
o contrário das aberrações ditas e feitas em nome dEle.

Receba meu abraço e minhas orações.

Nele, no qual não há merda alguma de religião,

Moisés Almeida